As Escrituras Sagradas

(Dt 32.46-47; Sl 1.1-6; 19.7-11; 2Tm 3.14-17; 2Pe 1.20-21)

Reconhecemos a Bíblia – os 39 livros do Antigo Testamento e os 27 livros do Novo Testamento – como o registro fiel da Palavra de Deus. A Bíblia é o único registro essencial e infalível da autorrevelação de Deus à humanidade. Ela é suficiente para a salvação pela fé em Jesus Cristo. Além do mais, as Escrituras são plenamente e verbalmente inspiradas por Deus. Portanto, a Bíblia está isenta de todo erro, conforme registrada em seus manuscritos originais. Cada livro da Bíblia deve ser interpretado a partir do seu contexto e propósito originais e estudado em um espírito de reverente obediência ao Senhor que nos fala poderosamente por seu intermédio. Todos os crentes devem estudar as Escrituras diligentemente e aplicá-las inteiramente às suas vidas. As Escrituras são a regra final e o guia fiel para toda a vida, prática e doutrina cristã. Elas são inteiramente suficientes e nada lhes deve ser removido ou acrescentado, seja por meio da tradição da Igreja, revelações extra-bíblicas ou sabedoria humana. Toda formulação doutrinária – seja ela em forma de credo, confissão ou sistema teológico – deve ser testada pela pleno conselho de Deus nas Escrituras Sagradas.